Clique no PLAY para leitura automática do texto:

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Rosatom constrói primeira usina nuclear flutuante do mundo


Rosatom constrói primeira usina nuclear flutuante do mundo


Projeto da usina nuclear flutuante Academician Lomonosov - Divulgação

Unidade será voltada para locais remotos e está prevista para operar em 2018, mesmo ano em que Angra 3 deve entrar no Brasil. A estatal russa Rosatom está construindo a primeira usina nuclear flutuante do mundo. 


Segundo assessoria da empresa, esse tipo de unidade será voltada para locais remotos, e está prevista para entrar em operação em 2018, mesmo ano previsto para a entrada da usina Angra 3 no Brasil. A primeira usina nuclear flutuante terá capacidade de 70 megawatts (MW). Batizado de Academician Lomonosov, o empreendimento terá sua base na cidade de Pevek (na província russa de Chukotka), região grande produtora de petróleo, gás, ouro, entre outros produtos.

Projeto da usina nuclear flutuante Academician Lomonosov - Divulgação

Segundo a empresa, para regiões áridas, é possível desenvolver o projeto em conjunto com a usina de dessalinização, que permite produzir água potável a partir da água do mar. Além da energia elétrica, o projeto inédito promete resolver inúmeros problemas gerados pela seca.



A usina nuclear flutuante tem alguns aspectos diferentes dos demais projetos, como a montagem em um estaleiro até espaços específicos para alojar os funcionários responsáveis pela operação. Conforme a assessoria da empresa, o projeto inclui ainda uma série de soluções inovadoras para questões de segurança e de estabilidade ambiental, com proteções para suportar tsunamis e até uma eventual colisão com outro navio. O enriquecimento do combustível utilizado para usinas flutuantes não ultrapassará o limite estabelecido pela AIEA, para cumprir o regime de não proliferação nuclear (até 20%).





C=362.443




Nenhum comentário:

Postar um comentário