Clique no PLAY para leitura automática do texto:

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Recordes - CULTURA

RECORDES - CULTURA

O RECORDE DO LIVRO DOS RECORDES

O Guinness World Records, o compêndio dos recordes, detém ele próprio uma marca: é o livro mais vendido no mundo. A Bíblia e o Alcorão podem até vender mais, mas ninguém detém direitos autorais sobre as obras e, por isso, não competem nessa categoria. Desde sua primeira publicação, em 1955, o Guinness vendeu mais de 100 milhões de cópias em mais de 100 países e foi traduzido para 37 línguas.
A idéia de fazer a publicação nasceu de uma discussão entre o então diretor da cervejaria Guinness, sir Hugh Beaver, com amigos que participavam de uma caçada na Irlanda. Seria a tarambola-dourada a ave de caça mais veloz da Europa? Ele percebeu que um livro que respondesse a esse tipo de pergunta teria forte apelo popular. Curiosidades como essa seriam alvos de debates acalorados nos pubs ingleses - regados, é claro, a muita cerveja Guinness. Foi assim que, em 27 de agosto de 1955, foi lançada a primeira edição do The Guinness Book of Records. O livro logo se tornou um best-seller e, mais tarde, passou a chamar-se Guinness World Records.


VOCÊ DE NOVO?

Jack Nicholson, 67 anos, é o campeão em indicações ao Oscar. Desde o começo de sua carreira, foi indicado 12 vezes para receber a estatueta (oito vezes para o prêmio de melhor ator e quatro para o de melhor ator coadjuvante). A primeira indicação foi em 1970, por sua atuação em Sem Destino, filme com que estourou no cinema. Recebeu a estatueta três vezes: por Um Estranho no Ninho (1975), Laços de Ternura (1983) e Melhor, Impossível (1997). Com 60 filmes na carreira, Nicholson é um dos atores mais poderosos de Hollywood. Tem cacife para exigir uma bela participação na bilheteria dos filmes em que atua. Sua filmografia inclui também clássicos como Chinatown (1974), de Roman Polanski, e O Iluminado (1980), de Stanley Kubrick.


SURRUPIOU MAS NÃO LEVOU
O que leva alguém a roubar um quadro tão famoso que é impossível comercializá-lo sem chamar a atenção? Uma hipótese é que o crime seja praticado por colecionadores milionários obcecados em possuir obras-primas de um grande mestre. Outra possível razão é que as obras viram moeda de troca no submundo do crime. Felizmente, não foi esse o destino das 20 pinturas surrupiadas do Museu Van Gogh, em Amsterdã, em 14 de abril de 1991, no maior roubo de obras de arte da história. Os quadros do pintor holandês, avaliados em 500 milhões de dólares, foram encontrados 35 minutos mais tarde num carro abandonado próximo ao museu.

Cerca de um ano antes, em 18 de março de 1990, 11 pinturas de Rembrandt, Degas e Manet, entre outros artistas, foram roubadas do Museu Isabella Stewart Gardner, em Boston, nos Estados Unidos. Avaliadas em 200 milhões de dólares, nunca foram recuperadas.
O roubo de obras de arte é atualmente a terceira atividade criminosa que movimenta mais dinheiro no mundo - atrás apenas do tráfico de drogas e do contrabando de armas.
As 20 obras de arte roubadas do Museu Van Gogh dariam para pagar o salário da top model Gisele Bündchen por cerca de 40 anos


GU-GU-DÁ-DÁ

Ele é o mais jovem cantor de rap da história. Quando tinha apenas 4 anos e meio, em setembro de 1993, o garoto Jordy emplacou a música "Dur Dur d’être bébé" (Duro, duro ser bebê) em primeiro lugar nas paradas de sucesso da França. A idéia de transformar Jordy em celebridade veio de seu pai, o DJ Claude Lemoine, que usou os balbucios do garoto numa música que mistura rap com batida house. Logo a música explodiu também no restante da Europa e nos Estados Unidos, onde entrou na lista das mais tocadas da Billboard. Até o Brasil entrou na onda.


.
.
C=57162
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário