Clique no PLAY para leitura automática do texto:

domingo, 23 de janeiro de 2011

Cachorra aprende a reconhecer nome de mais de mil brinquedos

23/12/2010 14h46 - Atualizado em 23/12/2010 15h26

Cachorra aprende a reconhecer nome de mais de mil brinquedos
Chaser foi treinada por psicólogos nos EUA por 3 anos para identificar e organizar objetos.

Uma cachorra da raça border collie consegue reconhecer 1.022 brinquedos pelo nome, mais do que qualquer outro animal, de acordo com os cientistas que convivem com ela.

Chaser, que foi treinada pelos psicólogos Alliston Reid and John Pilley, da Universidade de Wofford, nos Estados Unidos, também consegue organizar os objetos por função e forma. Crianças aprendem a fazer o mesmo por volta dos 3 anos de idade.


A border collie Chaser memorizou mais de mil nomes de objetos (Foto: Robin Pilley)A pesquisa dos americanos foi inspirada em Rico, um cachorro treinado no Instituto de Antropologia Evolutiva Max Planck, na Alemanha. Rico conseguia reconhecer 200 palavras e identificar objetos novos em um grupo de coisas que ele já conhecia.

Após o estudo com Rico, publicado em 2004, Reid e Pilley decidiram investigar se havia um limite para o número de palavras que os cachorros poderiam aprender.

Treino
Chaser foi treinada por três anos. Primeiro, os brinquedos eram apresentados a ela um a um. Em seguida, ela tinha que encontrar cada um dos objetos, e, por fim, o nome do brinquedo era repetido para reforçar a associação.

Para testar o vocabulário da cachorra, grupos de 20 brinquedos eram escolhidos aleatoriamente e colocados em um quarto isolado onde Chaser tinha que procurá-los pelo nome.

Segundo Alliston Reid, Chaser completou 838 testes e nunca acertou menos do que 18 objetos. Ela também aprendeu a dividir os objetos em categorias.

O especialista Ádám Miklósi, fundador do Projeto Cachorro de Família, na Universidade Eötvös Loránd, na Hungria, afirma que os resultados são impressionantes por causa do treino intensivo da cachorra.

'Outros cães realizam as mesmas tarefas, mas eles cometem mais erros', disse.

Nenhum comentário:

Postar um comentário