Clique no PLAY para leitura automática do texto:

terça-feira, 24 de junho de 2014

As minas que não eram de Salomão - Arqueologia

AS MINAS QUE NÃO ERAM DE SALOMÃO - Arqueologia



Quando foram descobertas, em 1871, as ruínas de Grande Zimbábue, na África, atraíram os caçadores de tesouros. Esses Indiana Jones acreditavam estar diante das lendárias minas do rei Salomão e quase destruíram o sítio arqueológico. Até hoje pesquisadores vasculham o que sobrou dos saques para decifrar a verdadeira história das construções. Suspeita-se que elas abrigaram a capital de um poderoso Estado, que chegou ao apogeu no século XIII e cuja decadência, 300 anos depois, pode ter sido conseqüência do descaso com a ecologia.

No ar, o jato virtual - tecnologia

NO AR, O JATO VIRTUAL - Tecnologia


Foram cinco anos de trabalho e um orçamento de 300 milhões de dólares, mas o resultado valeu a pena. Está no ar o primeiro jato totalmente desenvolvido em computador no hemisfério sul. A mãe da criança é a Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), com a ajuda de parceiros na Espanha, na Bélgica, nos Estados Unidos e no Chile. O fascinante é o EMB-145 ter decolado diretamente das telas, dispensando o usual protótipo de madeira em tamanho natural. Isso significa uma economia de 3 milhões de dólares. Apesar de ter voado pela primeira vez em agosto do ano passado, o jato ainda precisa completar 1 300 horas de ensaios no ar para entrar no mercado. Catorze companhias, de oito países, já estão na fila para comprar a novidade. 

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Eis o que você é - Cérebro


EIS O QUE VOCÊ É - Cérebro


Suas recordações de 1995 e seus planos para 1996, seus pensamentos mais lógicos e seus sonhos mais absurdos, seu talento para certas coisas e sua total inabilidade para outras, suas paixões, até seu jeito de falar e caminhar, tudo é pura química. São apenas substâncias diferentes que saltam de uma célula cerebral para outra, provocando correntes de eletricidade. Agora os cientistas começam a entender como essas mensageiras nervosas moldam a personalidade.

Um buraco no meio de tudo - Astronomia


UM BURACO NO MEIO DE TUDO - Astronomia


Situado na periferia da Via Láctea, o Sol é uma estrela relativamente solitária. Num raio de 4 anos-luz não há nenhuma outra estrela além dele. Em comparação, a região central da galáxia parece um vespeiro, um lugar apertado e violento, repleto de matéria e energia. Lá, num espaço equivalente ao que cerca o Sol (quase 40 trilhões de quilômetros), existe não uma, mas pelo menos 1 milhão de estrelas. Foi por isso, em parte, que há pouco mais de vinte anos a comunidade astronômica aceitou bem a sugestão inusitada de dois cientistas ingleses, Donald Lynden-Bell e Martin Rees. Em 1971, observando o brilho que vem do coração da galáxia, eles propuseram a idéia de que ali reside um monstro: um buraco negro gigante. 

Para se ter uma idéia, o estranho astro concentraria a massa de 1 milhão de sóis. E num volume incrivelmente pequeno, no qual, em condições normais, caberiam somente quatro sóis e meio! Por causa dessa característica, a força gravitacional dos buracos negros fica  concentrada de maneira absurda. A tal ponto que nem a luz, a coisa mais rápida que existe, pode escapar de sua superfície. Ainda mais grave é a situação das estrelas muito próximas - elas tendem a ser simplesmente destroçadas pelo buraco negro. Depois disso, sua matéria seria engolida por ele, gerando a energia luminosa que se vê no centro galáctico. Essa tese é plausível justamente devido ao grande número de estrelas existentes por lá. Estima-se que há pelo menos 300 astros numa vizinhança perigosa da superconcentração gravitacional. 

"As observações mais recentes indicam que o buraco negro esmaga e engole os destroços de uma ou duas estrelas por ano", disse à SUPER por telefone o radioastrônomo americano Farhad Yusef-Zadeh, da Universidade do Noroeste, em Illinois, Estados Unidos. Há anos ele tenta associar a matéria das estrelas ao objeto central da Via Láctea.

A evidência vem do gás interestelar

O astrônomo Yusef-Zadeh explica que não dá para dizer com segurança se a esfera negra existe realmente. "Mas na minha opinião os sinais de sua presença são muito fortes." No início deste ano, o cientista americano usou as pistas mais importantes já coletadas para montar um mapa detalhado do coração da galáxia (veja o infográfico ao lado). O indício decisivo são os movimentos alucinantes de gases, que ficam rodopiando no centro galáctico. É provável que a matéria gasosa venha das estrelas partidas pela esfera negra. 

Observações feitas no final do ano passado comprovam que há um grande grupo de estrelas gigantes muito perto do centro. O grupo pode ser o "rebanho" que alimenta a fera. O gás é arrancado pela força do buraco e despenca para o seu interior numa vasta espiral, atingindo temperaturas da ordem de milhões de graus Celsius. Por isso, brilha com grande intensidade. O jorro de luz é tão forte que uma parte da matéria, em vez de ser arrastada para o buraco, é soprada para longe.

O problema, agora, é identificar o próprio buraco negro, que não emite luz. Todo o seu brilho sai da nuvem à sua volta. Mas ela fica o tempo todo escondida pelas massas de estrelas e pela poeira de átomos que existem entre o centro da Via Láctea e a Terra. Só duas formas de luz, as ondas de rádio e os raios infravermelhos, passam com mais facilidade pelos obstáculos. Por essa razão, é grande a expectativa em torno de um novo telescópio de raios infravermelhos, o ISO, lançado pela Comunidade Européia no início de novembro. Dois dias depois, ele já estava em ação, contou à nós o brasileiro José Antônio de Freitas Pacheco, atualmente diretor do Observatório de Nice, perto de Paris. "O ISO certamente vai espiar o centro da galáxia e pode resolver de vez o enigma que existe por lá."

Com violência no coração

Sopro de luz
Dados do final do ano passado confirmam que estas estrelas, a cerca de 10 trilhões de quilômetros do centro, estão sendo varridas por um vento de partículas e luz fortíssima. Um efeito indreto da energia do buraco negro

Gigantes torturadas

Estrelas que estaria perto o bastante para serem não apenas atraidas, mas "rasgadas" pela força do monstro, do qual estariam a 1 trilhão de quilômetros. O que se observa com certeza é a grande velocidade do gás que parace estar despencando para o centro.

Supermassa

Pelos movimentos rápidos das estrelas e nuvens de gás próximas, estima-se que no centro galáctico exista um objeto cuja massa seria 1 milhão de vezes maior que a do Sol.

Vórtice luminoso

Antes de cair no buraco negro, o gás arrancado de estrelas próximas gira com velocidade próxima à da luz e temperatura superior a 100 000 graus Celsius. O próprio buraco negro não tem brilho. Sua luz vem desta espiral de gás.


quinta-feira, 19 de junho de 2014

Os peixes vão morrer de inveja - Esporte Hi-tech


OS PEIXES VÃO MORRER DE INVEJA - Esporte Hi-tech


Profundidade: 25 metros. Pressão: 4 atmosferas. Reserva de ar: 10 minutos. Tempo de submersão: 22 minutos. Respiração: normal. O mergulhador desvia os olhos do computador de pulso e conclui: hora de voltar à superfície. Antes, porém, dá outra espiada no aparelho. A máquina sugere uma parada de 3 minutos a 5 metros da superfície. Basta seguir a orientação e tudo dará certo. 

Os Senhores da Morte - Vulcões

OS SENHORES DA MORTE - Vulcões


Está praticamente provado: a maior extinção em massa de espécies na Terra, ocorrida há 250 milhões de anos, foi mesmo causada pelos vulcões da região da Sibéria. A descoberta reforça a idéia de que os vulcões foram os principais responsáveis por, pelo menos, três enormes desastres ecológicos. Entre esses, aquele que causou o desaparecimento dos dinossauros. A tese mais aceita, agora, é a de que os dinossauros sumiram em conseqüência da associação entre a queda de um meteoro e uma sucessão devastadora de erupções vulcânicas.

Alcatrazes - Laboratório da Natureza - Teologia

ALCATRAZES - Laboratório da Natureza - Teologia


Para quem olha do litoral, Alcatrazes é apenas uma manchinha escura no horizonte, a 33 quilômetros da costa de São Paulo. Difícil acreditar que  já foi possível chegar lá a pé, antes que acabasse a última glaciação, uns 8 500 anos atrás. Hoje, as doze ilhas, ilhotas e lajes se mantêm praticamente intocadas. O gelo derreteu, a água do mar subiu e o isolamento transformou o arquipélago num lugar inóspito para o homem.

Do Céu para a Terra - Tecnologia


DO CÉU PARA A TERRA - Tecnologia


O corpo em cores
Da espectrografia - técnica para analisar a composição das estrelas e outros corpos celestes pela cor da luz que eles emitem - surgiu a tomografia colorida. O princípio é o mesmo: como diferentes elementos químicos irradiam diferentes ondas luminosas, fica fácil mapear o cérebro e outros órgãos.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

A nova Geração - Aeronáutica


A NOVA GERAÇÃO - Aeronáutica


Eles mal saíram da prancheta e já viraram estrelas. Os novos modelos de ônibus espaciais da Nasa têm linhas ousadas e inovações tecnológicas impensáveis até ontem. Têm até um novo jeito de voar.

A última cartada de Einstein - Física

A ÚLTIMA CARTADA DE EINSTEIN - Física


Você tem bastante familiaridade com três estados da matéria: líquido, sólido e gasoso. Você ainda não se acostumou direito com a existência do quarto estado, mas ele já está identificado pela ciência desde a década de 50. É o plasma. Um exemplo? O Sol, que é uma bola de plasma. Pois agora, em julho, pesquisadores norte-americanos encontraram o quinto estado da matéria. Eles conseguiram imobilizar, por bilionésimos de segundo, 2 000 átomos de rubídio. Assim, imóveis, os átomos entraram no quinto estado. Lendo esta reportagem, você vai entender o que é isso. Mas o físico alemão Albert Einstein, morto em 1955, já havia definido esse estado em teoria. Isso em 1925! Das grandes idéias lançadas pelo gênio, era a única que ainda não tinha sido demonstrada. Agora, passados mais de 70 anos, está provado: Einstein estava certo.

Alexandria no fundo do mar - Arqueologia

ALEXANDRIA NO FUNDO DO MAR - Arqueologia


Não se sabia direito nem se ele tinha existido de verdade. Mas depois de dezesseis séculos o Farol de Alexandria,  uma das sete maravilhas da Antigüidade, foi enfim reencontrado. Está a oito metros de profundidade, no fundo do Mediterrâneo, no porto de Alexandria, Egito. Cientistas localizaram outros  2 000 objetos, submersos na baía - esfinges, estátuas, obeliscos e colunas, gregas e egípcias. É o maior sítio arqueológico submarino já descoberto.

terça-feira, 17 de junho de 2014

Os donos da praia - Zoologia

OS DONOS DA PRAIA - Zoologia


Quando você pisa na areia molhada da praia e seu pé afunda uns 10 centímetros, está provocando um terremoto na casa de 35 000 monstrinhos como este aí da foto. Não se sabe quantos morrem. Mas muitos conseguem sobreviver à catástrofe. E continuam povoando os pequenos espaços entre os grãos de areia, um mundo cheio de espécies. Seus habitantes, os verdadeiros donos da praia, são uns bichos estranhos, que os cientistas chamam de meiofauna. Seriam assustadores se fossem grandes. Mas eles têm menos de 1 milímetro e, ao contrário de outros pequenos intrusos que são levados à areia pelo homem ou pelos cães, não fazem mal a ninguém. São faxineiros que comem restos de animais e algas em decomposição. Agora que você sabe que eles existem, não precisa ficar com remorso nem medo de caminhar na areia, mas lembre-se de que sob os seus pés há uma microscópica selva, cheia de animais alucinantes.

Esse tal de buraco de Ozônio - Ambiente


ESSE TAL DE BURACO DE OZÔNIO - Ambiente


A vida não seria possível na Terra sem um escudo providencial existente na atmosfera: uma estreita camada de um tipo relativamente raro do gás oxigênio, o ozônio. Ele é capaz de bloquear os raios ultravioleta emitidos pelo Sol, perigosos para o homem porque aumentam a incidência de câncer de pele. Esse protetor gasoso está se desfazendo com grande rapidez. As perdas ocorrem sobre a Antártida, onde se formou um buraco que não pára de crescer. Há 15 anos sua área era menor que a do Brasil, mas este ano vai chegar a ser quase duas vezes maior, alcançando 14 milhões de quilômetros quadrados. Foi o que disse à SUPER o chefe da divisão de meio ambiente da Organização Meteorológica Mundial, John Miller. Aqui você vai saber como os cientistas enxergam o buraco e qual é sua proporção em relação à superfície da Terra. Também vai ler as outras informações essenciais para se compreender o fenômeno.

A luz dá a pista

Um prisma separa as cores que estão contidas na luz solar. Os raios ultravioleta geralmente não aparecem porque são absorvidos pelo ozônio e não chegam ao solo. Quando, em 1982, o inglês Farman registrou o ultravioleta na luz, concluiu que faltava ozônio no ar.

luz do Sol
ozônio
mesosfera
estratosfera
troposfera
ultravioleta presente
ultravioleta ausente

Escudo fininho

Normalmente a atmosfera tem 100 quilômetros de altitude. Para facilitar os cálculos, os cientistas costumam tratá-la como se ela tivesse apenas 8 quilômetros. Nesse modelo teórico, a camada de ozônio tem apenas 3 milímetros.

100 km - altura real da atmosfera
camada de ozônio
altura teórica da atmosfera usada para cálculos pelos cientistas
8 km


Pancadaria no ar
A causa mais provável da destruição do ozônio é uma substância usada nas geladeiras e no ar-condicionado dos carros, o CFC. A molécula de CFC contém cloro, e o cloro quebra as ligações químicas do ozônio. Com isso, dos três oxigênios do ozônio resta apenas uma dupla, que é incapaz de bloquear o ultravioleta.

CFC
cloro
carbono
cloro
cloro
flúor
oxigênio
ozônio
oxigênio
oxigênio
oxigênio 
cloro 
ozônio


Veja a que altura fica a camada de ozônio

mesosfera
estratosfera
camada de ozônio
troposfera
Antártida

100 km
50 km
25 km
10 km




Heróis da Resistência - Aids

HERÓIS DA RESISTÊNCIA - AIDS


De cada vinte pessoas infectadas pelo HIV, uma resiste bravamente. No caso dessa minoria lutadora, passam-se até vinte anos e a Aids não chega a se manifestar.
Os cientistas querem saber o que essa gente tem de tão especial para deixar o vírus acuado por um tempo muito maior do que o de costume.
Por enquanto, há poucas pistas.
Mas as pesquisas poderão
revelar um contragolpe fatal
do organismo para derrotar a mais terrível doença do mundo atual.

O SUPEROLHO DO HOMEM - 100 Anos de Raio X

O SUPEROLHO DO HOMEM - 100 Anos de Raio X


Um pequeno acaso, num laboratório doméstico, há exatos 100 anos, brindou a humanidade com os raios X. Quem abriu essa monumental janela para o invisível à retina humana foi o físico alemão Wilhelm Conrad Röntgen. Hoje, entre tantas outras coisas, os raios X permitem ao homem diagnosticar e tratar doenças, compreender as menores partes da matéria e ver a fantástica ebulição em que vive o Universo, repleto de explosões gigantescas e temperaturas de milhões de graus.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

As plantas viajantes - Agricultura


AS PLANTAS VIAJANTES - Agricultura



Das caravanas da Antiguidade às caravelas dos descobridores, o entra-e-sai de plantas pelos cinco continentes atravessou milênios e revolucionou a alimentação mundial. O intenso trânsito botânico acabou padronizando a dieta. Hoje, a humanidade come, basicamente, o produto de vinte espécies vegetais e apenas três delas - trigo, arroz e milho - fornecem metade da comida de todo o planeta.

A cara de zumbi - História do Brasil


A CARA DE ZUMBI - História do Brasil


O céu avermelhado na Serra da Barriga podia ser visto de longe, em Alagoas, no dia 6 de fevereiro de 1694. Era o fogo queimando Macaco, a capital do Quilombo dos Palmares. O incêndio extinguiu a resistência da confederação de escravos rebelados. Ali, eles conquistaram um século de liberdade. Zumbi, o último líder de Palmares, sobreviveu à queda de Macaco, mas foi emboscado e assassinado em 20 de novembro de 1695. A data é, atualmente, o "Dia da Consciência Negra" porque, para muitos brasileiros, a abolição dos escravos começou a acontecer muito antes do século XIX. E não tem a cara da Princesa Isabel

Como fabricar uma estrela - Física

COMO FABRICAR UMA ESTRELA - Física


Se o homem quiser explorar a fonte de energia mais abundante e barata que existe no planeta, terá que aprender com as estrelas. Elas queimam átomos de hidrogênio por meio da fusão nuclear, liberando grande quantidade de calor. Como os oceanos, aqui na Terra, estão repletos de hidrogênio, o homem está tentando fundi-lo por meio de gigantescos reatores conhecidos como tokamaks. No futuro, cada país deverá ter uma estrela particular, na forma de um tokamak, capaz de resolver o seu problema energético.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Encolhi o gordinho - Obesidade


ENCOLHI O GORDINHO - Obesidade


Depois do casal Mickey Mouse e Minie, criado por Walt Disney, a dupla de camundongos mais famosa no planeta surgiu  há quase três meses. O  par gerado pela ciência deixou muito gorducho cheio de esperança. Não é para menos: o bicho esbelto da foto já foi balofo como seu companheiro. Pesquisadores americanos descobriram a causa de suas banhas - falta de leptina no sangue - e corrigiram o problema. Se for obtido o mesmo sucesso com seres humanos, muitos gordos sairão ganhando. Ganhando leveza. Para eles, há também outras novidades da pesada, como uma droga que faz qualquer comida engordar menos.

A Primeira Guerra Mundial, mesmo - Cruzadas


A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL, MESMO - Cruzadas


Há 900 anos, no dia 18 de novembro de 1095, o papa Urbano II e o monge Pedro, o Eremita, botaram fogo no mundo. Atendendo aos apelos dos cristãos do oriente, o papa reuniu nobres feudais em Clermont, na França, e pediu que libertassem Jerusalém dos árabes. Foi um discurso fulminante. Começaram, aí, as cruzadas, a verdadeira primeira guerra mundial. Para os árabes, foram 200 anos de invasões bárbaras que deixaram cicatrizes que dóem até hoje.

Ficção quase científica - Cinema


FICÇÃO QUASE CIENTÍFICA - Cinema

Um pouco de fantasia, ok. Ninguém vai ao cinema para ver tratados de ciência. Mas enquanto alguns filmes apóiam o sonho em informações coerentes com o conhecimento científico, outros violam impiedosamente as leis da natureza.

O Rei da Noite - Natureza


O REI DA NOITE - Natureza


Dentro da escuridão, o rugido paralisa animais a quilômetros de distância. Até as grandes manadas silenciam. Sob a lua, os leões machos rugem e vigiam o seu território na gigantesca cratera de Ngorongoro, sudeste da África, enquanto as fêmeas e os filhotes brincam e se exercitam. As fotos que você vai ver são raras: mostram um bando em plena atividade noturna. São imagens íntimas do felino mais magnífico da Terra.

Tem boi na linha - Ciberespaço


TEM BOI NA LINHA - Ciberespaço


Eles já entraram nos computadores da Nasa, do Pentágono e de várias instituições brasileiras. Alguns chegam, olham e não fazem nada. Outros destróem programas e arquivos. São os hackers, espiões cibernéticos sem rumo que sabem tudo sobre computadores e se divertem quebrando a segurança dos sistemas. A Internet é um dos caminhos para suas invasões. Por isso, eles estão superanimados com a entrada do Brasil na grande rede. Se você não quer ver seus arquivos particulares devassados, melhor tomar cuidado.

O Monstro Corre Perigo - Zoologia


O MONSTRO CORRE PERIGO - Zoologia


Maior predador do planeta, o tubarão branco é uma tremenda máquina de matar, com um peso de quase duas toneladas e até oito metros de comprimento. Equipado com dentes superafiados e centenas de sensores elétricos espalhados pela parte frontal do corpo, o bicho é um exterminador. Mas está ameaçado de extinção. Os cientistas enfrentam o desafio de tentar protegê-lo para não deixar desaparecer uma espécie que tem mais de 60 milhões de anos e é o ápice da cadeia alimentar dos oceanos.

Morar no Espaço - Tecnologia


MORAR NO ESPAÇO - Tecnologia



A estação Alpha, próxima
etapa da exploração sideral,
ficará em órbita da Terra como um laboratório permanentemente habitado a
460 quilômetros de altitude, a partir de 2002.
Veja como ela vai ser construída, peça por peça

segunda-feira, 9 de junho de 2014

A farmácia do doutro Biruta - Remédios

A FARMÁCIA DO DOUTOR BIRUTA - Remédios


O consumidor brasileiro, com razão, não entende por que medicamentos proibidos, por exemplo,nos Estados Unidos, são autorizados no Brasil.Ou por que drogas que até ontem circulavam sem restrição, hoje são retiradas do comércio como graves perigos públicos. Um consolo: o problema é mundial. Aqui a loucura é maior, é verdade, porque parte dos arquivos do governo evaporou.

Vai gelo ? Futuro


VAI GELO? Futuro


Do jeito que a falta d´água se agrava no planeta, a alternativa pode ser... importar icebergs. Hoje, a operação tem qualquer coisa de mirabolante. É muito cara. Mas é viável. Do mesmo jeito que reboca massas de gelo para longe de plataformas de petróleo, a engenharia naval poderia transportar icebergs para regiões que sofrem com a seca. Veja como seria essa aventura.

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Quando a Maconha Cura - Farmacologia

QUANDO A MACONHA CURA - Farmacologia


Está provado. Os efeitos medicinais da maconha beneficiam pacientes de câncer, Aids, glaucoma e esclerose múltipla. Mas os médicos do mundo inteiro se vêem num dilema crucial. Como receitar um remédio que é proibido? Este ano, o debate ganhou peso na comunidade científica internacional e, por isso, nos  trazemos até você esta reportagem.