Clique no PLAY para leitura automática do texto:

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Abelhas agem como humanos sob o efeito da cocaína

23/12/08 - 09h12 - Atualizado em 23/12/08 - 10h21

Abelhas agem como humanos sob o efeito da cocaína
Insetos ficam mais comunicativos e energéticos sob o efeito da droga.

Comportamento de abelhas transforma colméia em superorganismo, diz cientista Cientista usa abelhas para tentar entender assassinos Abelhas ficam 'burras' quando estão doentes, dizem pesquisadores Abelhas aperfeiçoaram mecanismo para criar fêmeas, revela análise de DNA Cientistas descobrem segredo por trás da realeza das abelhas Cientistas encontram sinais da expansão das abelhas pelo mundo nos genes.

Um estudo australiano sugere que abelhas agem como humanos sob o efeito da cocaína.

Publicada na edição dessa semana da revista científica "Journal of Experimental Biology", a pesquisa visa analisar o funcionamento do cérebro das abelhas.

Os cientistas aplicaram uma pequena dose de uma solução de cocaína nas costas das abelhas e observaram o comportamento dos insetos. Eles monitoraram especialmente o comportamento das abelhas depois de procurarem e encontrarem comida.

Após a dose de cocaína, as abelhas passaram a se engajar em uma energética rotina de danças - uma forma de querer se comunicar intensamente com suas companheiras. Mais tarde, em outro experimento, os cientistas também descobriram que, a exemplo do que ocorre em seres humanos, as abelhas também sofrem de crise de abstinência quando deixam de receber doses habituais de cocaína.

'Recompensa'
"Quando as abelhas encontram uma boa fonte de pólen ou néctar, elas voam de volta à colméia e fazem uma dança simbólica para as outras abelhas - essa é uma forma especial de comunicação para contar aos outros sobre a recompensa que encontraram", explicou Andrew Baron, que coordenou o estudo.

Segundo os cientistas, depois de receber uma dose de cocaína, as abelhas apresentavam danças muito mais energéticas para as companheiras de colméia e demonstravam mais entusiasmo sobre a descoberta de comida.

O estudo sugere que isso acontece porque a cocaína afeta o "processo de recompensa" no cérebro das abelhas, provocando a produção de um químico chamado octopamina - substância semelhante à dopamina, precursor natural da adrenalina - nos humanos.

"Você pode até pensar que abelhas e humanos não têm muito em comum, mas acontece que existe uma coisa que leva ambos a se comportarem da mesma maneira: nossa paixão pelas recompensas", disse Baron.

Abstinência
Os cientistas também analisaram o efeito do uso prolongado da droga nos insetos.
Para chegar aos resultados, Baron e sua equipe administraram doses diárias de cocaína nas abelhas durante uma semana. Durante esse período, os cientistas realizaram testes de aprendizado com os insetos, fazendo com que as abelhas distinguissem dois cheiros diferentes.

Enquanto estavam sob o efeito da droga, as abelhas desempenhavam bem o teste. No entanto, ao final da semana, quando os cientistas pararam com as doses, as abelhas sofreram uma espécie de "crise de abstinência" e tiveram um desempenho ruim nos testes.

"Com a administração contínua da droga, houve um impacto no desempenho da aprendizagem das abelhas, mas quando o tratamento foi encerrado, elas apresentaram dificuldades em aprender a tarefa - assim como quando os humanos entram em abstinência", disse Baron.

Ele explica que o próximo passo da pesquisa será analisar a tolerância e sensibilidade das abelhas à cocaína.

Segundo ele, o estudo pode ainda fazer com que as abelhas "se tornem uma alternativa mais ética" aos ratos e camundongos em experimentos que envolvem o uso de drogas.

Voyeur é condenado à prisão por espionar jovem

06/08/08 - 09h12 - Atualizado em 06/08/08 - 09h12

Voyeur é condenado à prisão por espionar jovem via webcam
Caso foi registrado em Chipre, em 2005; na época, vítima tinha 17 anos.
Homem tirou fotos da jovem e ameaçou enviar para toda a lista de e-mail dela.

A República de Chipre condenou nesta semana um voyeur da internet a quatro anos de prisão por usar uma webcam para espionar uma garota quanto ela tinha 17 anos. Ao conseguir controlar a câmera remotamente, o homem de 47 anos visualizava o que acontecia dentro do quarto da jovem. O crime foi registrado em 2005.

De acordo com a agência de notícias Reuters, ele foi acusado de instalar um software espião no computador da garota, que conheceu em uma sala de bate-papo. O homem enviou esse código malicioso à jovem em um anexo de e-mail: depois de instalado no computador, o programa permitia que ele ligasse a câmera remotamente.

O acusado passou então a vigiar a garota sem que ela soubesse, por um “longo” período de tempo, que não foi especificado.

Ele tirou diversas fotos quando a jovem estava sozinha no quarto e ameaçou enviar essas imagens para todos os contatos dela de e-mail, caso a garota não concordasse em posar nua em frente à webcam. Ainda de acordo com a Reuters, o homem também descobriu seu número de telefone celular e passou a perturbá-la. A vítima contou tudo a seus pais e o homem foi detido, em 2005.

“A maioria dos códigos espiões é desenvolvida para roubar identidades, senhas e informações bancárias. Mas é muito fácil programar esses spywares para que eles controlem webcams”, afirmou o analista Graham Cluley, da empresa de segurança Sophos. “Esse caso mostra que, além de serem usadas para ganhos financeiros, as pragas virtuais também podem ser adotadas por voyeurs. É necessário manter o computador sempre seguro, para não ser vítima de chantagistas ou espiões.”

Verbas de Defesa vão beneficiar tecnologia e segurança na Web

08/05/09 - 15h22 - Atualizado em 08/05/09 - 15h25

Verbas de Defesa vão beneficiar tecnologia e segurança na Web

ATLANTA (Reuters) - À medida que o Departamento da Defesa dos Estados Unidos reformula sua capacidade militar e se equipa melhor para enfrentar operações de combate irregular, as empresas que se concentram na tecnologia de informação e em prevenir novas ameaças de segurança estarão bem posicionadas para se beneficiar.

O governo Obama esta semana solicitou ao Congresso 663,8 bilhões de dólares para o
Pentágono, que mudará de foco e passará a dedicar mais recursos a combater insurgentes do que a inimigos tradicionais.

O orçamento, que precisa de aprovação do Congresso, pode resultar no encerramento da
produção do F-22, o caça stealth da Lockheed Martin, do helicóptero presidencial VH-71 e do avião de carga militar C-17, da Boeing.

Mas também reforçaria as verbas de sistemas que coligem, monitoram e disseminam
informações, e ofereceria cobertura adicional do campo de batalha por veículos aéreos não tripulados. Também está prevista uma expansão de mais de 2,4 mil soldados no efetivos das forças de "operações especiais".

"As empresas que estão produzindo tecnologias que auxiliam os soldados no campo de batalha de maneira prática" devem se beneficiar, disse Brian Ruttenbur, analista de defesa da Morgan Keegan.

"Coisas que apresentam custos muito elevados e retornos questionáveis estão chegando ao fim", acrescentou.

Jim McAleese, um consultor de defesa, disse estar surpreso pela forte concentração da Casa Branca em cancelar cerca de 5 bilhões de dólares de verbas adicionais para armamentos em uma proposta de orçamento de guerra suplementar, quando está a ponto de apresentar um orçamento de 3,55 trilhões de dólares.

Dado o esforço para cortar programas de armas, alguns representantes do setor estão
começando a temer que "defesa talvez se torne um nome feio na Casa Branca".

Mas Alex Hamilton, diretor executivo sênior da Jesup & Lamont Securities, disse que a mudança de foco do governo Obama demonstra que as autoridades estão cada vez mais preocupadas com as operações de inteligência e a proteção de redes de computadores contra ameaças, e não com a produção de equipamentos militares mais tradicionais.

Uso da chupeta não atrapalha a amamentação

11/05/09 - 15h09 - Atualizado em 11/05/09 - 15h09

Uso da chupeta não atrapalha a amamentação, afirma novo estudo
Pesquisa americana ajuda a tranquilizar pais de bebês novinhos.
Aparato pode até ajudar a impedir morte súbita em crianças.

Não tenha medo da chupeta. Mães preocupadas, temerosas de que seus bebês usem chupeta e isso reduza as chances de uma amamentação de sucesso, já podem relaxar, afirma um novo estudo. Em texto publicado na revista "The Archives of Pediatric & Adolescent Medicine", pesquisadores afirmam não ter encontrado evidências satisfatórias estabelecendo uma relação entre o uso de chupetas e a amamentação.

"Tradicionalmente, acredita-se que a chupeta interfira na amamentação ideal", escreveram os pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade da Virgínia. Na década de 1980, órgãos de saúde desencorajavam seu uso. No entanto, nos últimos anos, pesquisadores descobriram evidências de que bebês que usam chupeta ao dormir podem ser menos suscetíveis à síndrome infantil da morte súbita. A Academia Americana de Pediatria agora recomenda o uso da chupeta, por essa razão.

Para os médicos, isso significa que há duas necessidades visivelmente opostas: motivar a amamentação, o que é mais saudável, mas reduzir o risco da síndrome infantil da morte súbita.

Para o estudo, os cientistas revisaram 29 pesquisas, de doze países, que abordavam o uso de chupetas e amamentação. A principal autora do estudo é a Dra. Nina R. O'Connor, agora no Chestnut Hill Family Practice Residency Program, na Filadélfia. Os pesquisadores descobriram que as mulheres cujos bebês usavam chupeta aparentavam parar de mamar mais cedo. No entanto, não ficou claro se as chupetas eram a causa disso.

O autor mais experiente do estudo, Dr. Fern R. Hauck, recomendou que as chupetas sejam dadas aos bebês a partir da terceira ou quarta semana de vida.

União Europeia lança carta de direitos do consumidor online

05/05/09 - 14h27 - Atualizado em 05/05/09 - 14h30

União Europeia lança carta de direitos do consumidor online

ESTRASBURGO, França (Reuters) - A Comissão Europeia publicou nesta terça-feira um guia quanto aos direitos dos consumidores online e divulgou uma lista de ações que está considerando adotar para ajudar o público a usar a Internet.

O comércio transnacional é visto como uma maneira de promover maior concorrência no varejo e de ajudar a reduzir os preços para os consumidores.

"Oferecer aos consumidores informações claras sobre seus direitos reforçará a confiança e ajudará a desencadear todo o potencial econômico do mercado online unificado da Europa, que movimenta 106 bilhões de euros", disse Viviane Reding, comissária de Telecomunicações da União Europeia.

Uma pesquisa solicitada pela Comissão constatou que apenas 12 por cento dos usuários da Web na União Europeia se sentiam seguros ao realizar transações na Internet, enquanto outros 39 por cento tinham sérias dúvidas sobre segurança e 42 por cento simplesmente não realizavam transações financeiras online.

Cerca de 33 por cento dos consumidores considerariam comprar produtos online em outros países, se os produtos fossem melhores ou mais baratos, mas apenas 7 por cento deles efetivamente o fazem, de acordo com a pesquisa.

O eYouGuide (http://ec.europa.eu/eyouguide) da Comissão define os direitos dos consumidores quanto a questões como o relacionamento com provedores de banda larga, compras via Web e proteção de dados pessoais online e em sites de redes sociais.

"Na União Europeia, os direitos dos consumidores online não dependem de onde uma empresa ou site está sediado", afirmou Reding. "As fronteiras nacionais precisam deixar de complicar a vida dos consumidores europeus quando estes usam a Internet para comprar um livro ou baixar uma canção".

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Troca de mensagens pelo celular causa acidente de metrô

11/05/09 - 16h41 - Atualizado em 11/05/09 - 17h28

Troca de mensagens pelo celular causa acidente de metrô nos EUA
Condutor admitiu que escrevia para a namorada antes da colisão.
Dezenas de pessoas ficaram feridas no choque entre as duas composições.

Dezenas de pessoas ficaram feridas após a colisão de duas composições do metrô de Boston, na sexta-feira (8), em consequência da distração de um dos condutores, que trocava mensagens de texto com a namorada pelo celular momentos antes do acidente.

Aiden Quinn, de 24 anos, admitiu à polícia que não percebeu a aproximação de sua composição com a que estava parada logo a sua frente, não conseguindo frear a tempo, de acordo com informações do site "The Register".

Para os policiais, como trafegava a uma velocidade média de 40 Km/h, Quinn poderia ter notado a presença do vagão a sua frente - que estava parado na estação havia mais de um minuto - 13 segundos antes da colisão, tempo suficiente para frear e evitar o acidente.

Além disso, o condutor já havia ultrapassado um sinal vermelho antes de atingir o ponto de colisão.

Os operadores de metrô de Boston são proibidos de enviar e receber mensagens de texto, e falar ao celular durante o expediente, mas o acidente da última sexta-feira tornou a regra ainda mais drástica: se os condutores forem pegos ao celular durante o trabalho serão demitidos, informou reportagem do "Boston Channel".

Quinn está suspenso de suas atividades, enquanto durarem as investigações, podendo ser demitido caso seja comprovado que ele trocava mensagens com a namorada momentos antes do acidente. Em um ano, esse é o décimo caso registrado pelo departamento de trânsito local de condutor do transporte público que comete esse tipo de infração.

Tatuagem não aumenta risco de câncer de pele

13/05/09 - 07h00 - Atualizado em 13/05/09 - 07h00

Tatuagem não aumenta risco de câncer de pele, diz médico americano
Casos documentados teriam a ver com local escolhido para tattoo.
Em várias ocasiões, pessoas fazem desenhos sobre marcas de nascença.

Tatuagens aumentam o risco de câncer de pele?

À medida que mais pessoas tatuam seus corpos, algumas se perguntam se pode haver ali um risco escondido (além do risco de arrependimento, anos mais tarde).

Muitas tintas são feitas com metais; o azul, por exemplo, contém cobalto e alumínio. Já o vermelho pode conter sulfeto de mercúrio. Isso, somado ao fato de que a tatuagem pode ser traumatizante para a pele, levantou suspeitas de que os desenhos podem levar ao câncer de pele. Estudos realizados nos últimos anos documentaram alguns casos desse tipo de câncer em locais do corpo tatuados.

No entanto, Ariel Ostad, professor assistente clínico de dermatologia do NYU Langone Medical Center, em Manhattan, afirma que isso não significa que a tatuagem causou o câncer. De fato, diz ele, a tinta provavelmente não causa nenhum dano, pois fica confinada às células epiteliais chamadas de macrófagos, cujo trabalho é justamente absorver material externo.

O mais provável, sustentou Ostad, é que a tatuagem tenha sido realizada em algum tipo de sinal de nascença, tornando-o mais difícil de ser detectado. Vários estudos de caso observaram melanomas negligenciados por terem surgido de marcas escondidas por tatuagens. O médico afirma que muitas pessoas o questionam sobre a relação entre tatuagem e câncer de pele. A resposta, diz ele, é "não há relação, sem sobra de dúvida".

"Porém, as pessoas devem saber que é necessário preservar uma área de pele saudável ao redor de uma marca de nascença."

Assim, não existem evidências de que tatuagens causem câncer de pele.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Suspeito desiste de fuga nos EUA para comer último burrito

13/05/09 - 15h23 - Atualizado em 13/05/09 - 15h23

Suspeito desiste de fuga nos EUA para comer último burrito
Jermaine Askia Cooper estava fugindo da polícia a 145 km/h.
Como seria preso, suspeito pretendia saborear seu prato preferido.




Foto: Divulgação Traficante não queria ser preso sem antes comer seu 'último' burrito. (Foto: Divulgação)Uma perseguição policial em Fort Wayne, no estado de Indiana (EUA), terminou repentinamente quando um suspeito de tráfico de drogas reduziu a velocidade e parou em um restaurante fast-food da cadeia Taco Bell.

Jermaine Askia Cooper, de 36 anos, estava fugindo da polícia a 145 km/h.

Segundo o policial Mark Walters, o suspeito afirmou que parou no restaurante Taco Bell porque sabia que iria para a prisão por um tempo e pretendia comer seu último burrito.

Cooper foi detido sem direito a fiança por porte de cocaína, resistência à prisão e fuga.

Senado francês aprova lei contra download ilegal

13/05/09 - 14h57 - Atualizado em 13/05/09 - 15h28

Senado francês aprova lei contra download ilegal
Medida prevê pena de até um ano sem conexão de internet.
Deputados já haviam aprovado o projeto antipirataria na última terça-feira.




Foto: AFP Defensores da nova lei antipirataria, o cineasta Luc Besson e sua mulher, a atriz Virginie Sillas, acompanharam a primeira votação, na terça (12). (Foto: AFP) O Senado da França deu sua aprovação final, nesta quarta-feira (13), à lei que prevê punir quem faz download ilegal de filmes e música com a desconexão da internet. Por 189 votos a favor e apenas 14 contra, os senadores seguiram os deputados do país, que já haviam aprovado o projeto de lei na terça.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, é o principal defensor da nova lei antipirataria. Alguns apontam, inclusive, que a medida tenha sido incentivada pela primeira-dama francesa, a cantora e modelo Carla Bruni.

A nova lei cria o que pode ser considerada a primeira agência governamental para punir os piratas on-line. Mas seu futuro ainda é incerto, porque o Parlamento Europeu estuda uma medida que proíbe o corte da conexão de internet sem ordem judicial. Uma versão final dessa medida ainda será negociada com o Conselho Europeu. Se concluída, a regra para todo o território europeu poderá ir de encontro com o que foi aprovado nesta quarta na França.

Muitos alegam que a nova lei vai contra a liberdade individual, ao negar que os acusados de pirataria na internet tenham o direito de questionar as acusações feitas contra eles. Outros têm medo de que a medida possa favorecer o aumento de práticas governamentais no estilo "Big Brother", invadindo cada vez mais a privacidade dos cidadãos.

Mas as indústrias fonográfica e cinematográfica, além dos próprios artistas, acreditam que a lei é um passo decisivo no combate à pirataria on-line na França, onde as vendas de CD e DVD tiveram uma queda de 60% nos últimos seis anos.

Avisos
De acordo com o nova lei francesa, os acusados de pirataria on-line receberão dois e-mails, seguidos de uma notificação oficial. Se os downloads ilegais continuarem a ser feitos pelos infratores dentro de um período de um ano após os avisos, o acesso à internet dessas pessoas será cortado por um período que vai de dois meses a um ano. Mas os punidos deverão continuar a pagar pela manutenção do serviço, mesmo durante esse período de inatividade.

A lei prevê ainda a criação de uma agência do governo para punir os infratores, que especialistas acreditam se tratar da primeira do gênero em todo o mundo, ressaltando que é a primeira vez que um governo ameaça cortar as conexões de internet na batalha contra a pirataria. A tarefa de monitorar esses usuários, no entanto, ficaria a cargo dos órgãos de defesa da indústria do entretenimento.

Críticos da nova lei dizem que ela é falha, uma vez que enfoca os downloads tradicionais numa época em que o streaming on-line se mostra cada vez mais forte, por exemplo. Outros afirmam que pessoas que fizerem downloads ilegais utilizando para isso hotspots públicos de Wi-Fi ou endereços de IP mascarados continuarão agindo livremente, sem serem rastreados nem punidos.

Reino Unido é acusado de retardar a luta contra o cibercrime

05/05/09 - 14h29 - Atualizado em 05/05/09 - 14h30

Reino Unido é acusado de retardar a luta contra o cibercrime

LONDRES (Reuters) - A principal agência europeia de defesa dos direitos humanos questionou o compromisso do Reino Unido para com o combate ao cibercrime e terrorismo, nesta terça-feira, ao indagar por que o país ainda não ratificou importantes acordos assinados quatro anos atrás.

O Conselho da Europa, que comemora seu 60o aniversário na terça-feira, expressou incompreensão diante da demora britânica em ratificar três importantes convenções sobre crime transnacional, entre as quais um acordo destinado a combater o financiamento ao terrorismo.

No caso dos cibercrimes, não só a convenção já foi adotada por outros importantes países europeus como também pelos Estados Unidos, que embora não sejam um dos 47 membros do Conselho da Europa, têm o direito de assinar suas convenções.

"O que decepciona é que o governo do Reino Unido ainda não tenha ratificado os acordos", disse Terry Davis, secretário geral do Conselho da Europa e antigo líder político do Partido Trabalhista, que governa o Reino Unido, em entrevista à Reuters.

"Parece-me muito estranho... Por definição, o cibercrime é internacional. Trata-se de um problema internacional que requer uma solução internacional", acrescentou.

A convenção permite que os signatários se comuniquem instantaneamente quando existe suspeita de cibercrime e padroniza as definições de crime entre os diversos países, o que torna mais fácil promover processos.

"Jamais recebi qualquer explicação satisfatória para a não ratificação, exceto a desculpa de que, bem, costumamos demorar quando se trata dessas coisas", afirmou Davis, acrescentando que discutiria a questão com Jack Straw, o ministro da Justiça britânico.

A convenção sobre cibercrime foi assinada em novembro de 2001, enquanto duas outras, sobre a prevenção ao terrorismo e o combate à lavagem de dinheiro, que inclui o financiamento internacional ao terrorismo, foram adotadas em maio de 2005.

"Trata do recrutamento de pessoas para cometer atos de terrorismo em outros países", disse Davis sobre a convenção de combate ao terrorismo. "Está em aberto para ratificação já há quatro anos. Dado o fato de que o Reino Unido se preocupa muito com o terrorismo, isso me parece muito estranho", completou.

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Pirataria de software cresce no mundo, mas recua no Brasil

12/05/09 - 11h15 - Atualizado em 12/05/09 - 15h06

Pirataria de software cresce no mundo, mas recua no Brasil
Índice global subiu de 38% para 41% dos programas instalados.
Brasil teve queda de 1%, segundo pesquisa da Business Software Alliance.




Foto: Fredrik Persson/AFP Manifestação de apoio ao Pirate Bay, site acusado de violação de direitos autorais (Foto: Fredrik Persson/AFP ) A pirataria de software no mundo cresceu no ano passado, respondendo por 41% de todos os programas instalados, com perdas de US$ 53 bilhões estimadas para as empresas produtoras, anunciou a Business Software Alliance (BSA), nesta terça-feira (12).

Os índices mundiais de pirataria subiram de 38% dos programas instalados em empresas e residências em 2007 para 41% em 2008, apesar do sucesso da China e da Rússia em esforços para reprimir o comércio ilegal, de acordo com um estudo conduzido pelo grupo de pesquisa de mercado IDC para a BSA.

No Brasil, a pesquisa indica redução de 1 ponto percentual, chegando aos 58%. No acumulado dos últimos três anos, entre 2005 e 2008, o país registrou queda de 6 pontos no índice.

O valor monetário de software pirata no Brasil aumentou 1,73% em relação a 2007, alcançando R$ 1,645 bilhão.

Contenção de perdas
"Apesar de figurar na nona colocação na lista dos países cuja pirataria de software provoca maior dano financeiro, esse resultado revela uma significativa contenção de perdas em 2008, já que, entre 2005 e 2007, o valor havia subido 111,1%", informa a BSA no levantamento.

As vendas mundiais de software para computadores pessoais cresceram 14% no ano passado, para US$ 88 bilhões.

Embora tenha surgido progresso na repressão à pirataria em alguns países, com quedas em cerca de metade dos mercados pesquisados, o valor pirateado em dólares "na verdade subiu", disse Robert Holleyman, presidente da BSA.

Muitas cópias, poucas licenças
Holleyman disse que embora a pirataria nos Estados Unidos responda por cerca de 20% do total do mercado, a menor porcentagem no mundo, ela ainda assim representa um sério problema, porque mais software é vendido nos EUA do que em qualquer outro país.

Holleyman disse que boa parte das perdas vêm de pequenas empresas que utilizam cópias não licenciadas de programas populares. Elas podem ter 50 máquinas, mas pagam licenças para o software de apenas 25 delas. "Os EUA apresentam o maior prejuízo em termos de valor", ele disse.

O índice de pirataria na China caiu de 90% dos vendidos, em 2004, para 80% no ano passado, enquanto na Rússia o índice de pirataria se reduziu em cinco pontos percentuais em 2008, para 68%, constatou o estudo.

O progresso na China surgiu porque o governo decidiu usar apenas software legítimo, porque os provedores de acesso à Internet cooperaram para tirar piratas da rede, quando solicitados, e devido a outras medidas, disse Holleyman.

O estudo identificou cinco países com índices de pirataria de 90% ou mais: Geórgia, Bangladesh, Armênia, Zimbábue, Sri Lanka, Azerbaijão e Moldova.

Pessoas se enxergam como mais morais do que realmente são

12/05/09 - 19h35 - Atualizado em 12/05/09 - 19h35

Pessoas se enxergam como mais morais do que realmente são
Experimentos mostram que autoimagem das pessoas é otimista.
Psicólogos tentam compreender o fenômeno.

A maioria das pessoas é inflexível: elas nunca fariam. Nunca. Nunca infligiriam dor deliberadamente em outra pessoa, apenas para obter informações. Nunca inflariam artificialmente o valor de algum bem financeiro, simplesmente para obter vantagens sobre a ignorância de outros. E, certamente, nunca, nunca se tornariam um aproveitador e aceitariam uma ajuda financeira do governo.

Elas falam apenas por si próprias, é claro. Quanto aos outros, bem, assista ao jornal: banqueiros duvidosos, interrogadores selvagens e aproveitadores estão por toda parte.

“Lembro-me de achar que eu simplesmente era melhor que as outras pessoas, que eu nunca comprometeria meus princípios”, disse Jordan LaBouff, 25, estudante de graduação do Texas, recordando uma confrontação pública que ele e outros estudantes tiveram com administradores da universidade há muitos anos.

“Bem, eles me deram este prêmio – a administração me deu – e eu jurei que nunca aceitaria nada deles. Mas obviamente lá estava eu, em cima do palco, aceitando-o.”

Nos últimos anos, psicólogos sociais começaram a estudar o que chamam de efeito mais-sagrado-que-vós. Eles há muito sabem que as pessoas tendem a ser otimistas demais a respeito de suas próprias habilidades e sucessos – com o objetivo de superestimar sua colocação na sala de aula, sua disciplina, sua sinceridade.

Todavia, essa propensão ao auto-orgulho pode ser ainda mais forte quando se trata de julgamento moral. Ela é capaz de influenciar fortemente no quanto as pessoas julgam as ações dos outros – e até mesmo as próprias ações. Cultura, crença religiosa e experiência ajudam a moldar o senso de postura moral de uma pessoa em relação aos outros, dizem os psicólogos. Novas pesquisas estão ajudando a esclarecer quando esses sentimentos de superioridade são úteis e quando são autodestrutivos.

Dois lados da moeda
“A mensagem neste trabalho não é que você deva se livrar da indignação moral; mas algumas vezes isso é apropriado”, disse David Dunning, um psicólogo social da Universidade Cornell em Ithaca, Nova York. “Porém, o ponto é que diversos tipos de comportamento são conduzidos muito mais pela situação do que pela força da personalidade. O que outra pessoa fez naquela situação é um aviso muito forte do que você mesmo faria.”

Uma forma de testar se outras pessoas honram suas virtuosas auto-imagens é armar para elas. Em um estudo, por exemplo, 251 estudantes da Cornell estimaram a chance de comprarem um narciso no Daffodil Days, um evento de quatro dias no campus para apoiar a American Cancer Society. Como se esperava, 83% previram que comprariam ao menos uma flor, enquanto apenas 56% de seus colegas o fariam.

Cinco semanas depois, durante o evento, os pesquisadores descobriram que apenas 43% daqueles estudantes acabaram comprando um narciso. Em outros experimentos, pesquisadores descobriram que as pessoas superestimam de maneira parecida sua disposição em fazer o considerado moralmente correto, seja doar à caridade, votar ou ajudar um estranho. No fim, suas previsões menos generosas a respeito do comportamento dos colegas tendem a ser bastante precisas – tanto para eles quanto para os outros do estudo.

“O abismo entre como eu acho que me comportarei e como eu realmente me comporto é uma função do quão bem eu simulo a situação, e nossas simulações são guiadas por nossas intenções”, disse Nicholas Epley, psicólogo da Universidade de Chicago e co-autor, ao lado de Dunning, em muitas dessas experiências.

“O problema com essas avaliações é que nós superestimamos como teríamos nos comportado”, explicou Epley. “Também jogamos toda crise ou escândalo na falha de caráter – sabe, se nós simplesmente demitirmos todos os banqueiros imorais e substituí-los por outros com moral, resolveremos o problema”.

Em experimentos e na vida, o efeito mais-sagrado-que-vós diminui rapidamente quando as pessoas realmente passaram pela experiência julgada: práticas contábeis duvidosas parecerão menos sombrias para pessoas que já enfrentaram uma empresa entrando em falência. O efeito é, aparentemente, menos pronunciado em culturas que enfatizam a interdependência sobre as realizações individuais, como China e Espanha.

A religião é uma prática capaz de abrandar potencialmente os sentimentos de superioridade moral. Todas as grandes crenças destacam o valor de ser humilde e os riscos do excesso de confiança. “Na humildade, considere as pessoas como melhores do que você mesmo”, aconselha o apóstolo Paulo em sua epístola aos Filipenses.

Ainda assim, para algumas pessoas, a religião parece amplificar o instinto de se sentir como um símbolo moral. Num estudo de 2002, pesquisadores da Universidade Baylor, no Texas, e da Uiversidade Simpson, na Califórnia, avaliaram o comprometimento religioso de 249 estudantes, 80% dos quais membros de uma igreja.

Os pesquisadores, comandados por Wade C. Rowatt da Baylor, descobriram que os estudantes desse grupo altamente religioso se consideravam, na média, quase duas vezes mais aptos que seus colegas ao aderir a mandamentos bíblicos como “Ame seu próximo como a si mesmo”.

O estudo também descobriu que os estudantes mais estritamente fundamentalistas estavam na faixa mais alta da escala.

“Isso me lembra um de meus adesivos de para-choques prediletos”, disse o Dr. Epley, de Chicago. “’Jesus te ama, mas eu sou seu favorito’”.

Por tudo isso, um sentimento permanente de superioridade moral é intrínseco ao que alguns psicólogos chamam de auto-aperfeiçoamento. Os chamados auto-aperfeiçoadores se consideram abençoados, altamente apreciados pelos outros, uma revelação por cima de todos. Algumas vezes isso acontece, sugerem alguns estudos – especialmente em crises de vida ou morte como o 11 de setembro e a guerra na Bósnia.

“Auto-aperfeiçoadores se saem muito bem, no quadro geral, em medições de saúde mental nessas situações”, disse George Bonanno, psicólogo da Universidade Columbia.

Todavia, na ruína mundana e no fluxo da vida, um senso inflado de virtude pessoal também pode ser um campo minado. “Um corretor de ações confiante demais tende a obter um pior desempenho; as pessoas compram títulos demais em academias” disse Dunning, da Cornell. “Na esfera econômica, os resultados não são muito bons”.

Não esqueça que andar com sapatos de plataforma moral torna muito mais difícil se levantar quando você cai.

Panasonic faz aliança para desenvolver telas Oled

08/05/09 - 14h33 - Atualizado em 08/05/09 - 14h35

Panasonic faz aliança para desenvolver telas Oled

TÓQUIO (Reuters) - A Panasonic anunciou nesta sexta-feira que está desenvolvendo painéis baseados na tecnologia de diodos orgânicos emissores de luz (Oled) em parceria com a Sumitomo Chemical, em uma tentativa de se manter na corrida pelo mercado de TVs de próxima geração.

Os painéis Oled consomem menos energia que telas de outras tecnologias e também permitem a produção de monitores leves, mais finos e com imagens mais nítidas.

Em 2007, a Sony lançou o primeiro aparelho de televisão do mundo com tela Oled. O produto tinha espessura de 3 milímetros. Mas altos custos de produção e o tamanho pequeno da tela tem restringido a tecnologia a competir mais seriamente com TVs de plasma e LCD.

A Panasonic informou que está também cooperando com outros parceiros no desenvolvimento da tecnologia Oled, mas ainda não tomou decisão sobre a comercialização de aparelhos baseados no sistema.

O jornal Nikkei publicou que a Panasonic e a Sumitomo Chemical tem como meta uma joint-venture para desenvolverem e produzirem painéis Oled de pelo menos 40 polegadas até 2010.

Atualmente, a Sony produz uma TV Oled com tela de 11 polegadas.

Nova Zelândia organiza competição para pinguins

13/05/09 - 16h51 - Atualizado em 13/05/09 - 16h51

Nova Zelândia organiza competição para pinguins
Pinguins disputaram futebol, surfe e outros três modalidades.
Evento realizado em Orakei foi chamado de 'Penguathalon'.




A Nova Zelândia organizou entre 10 de abril e 10 de maio uma competição para pinguins chamada de 'Penguathalon'. No evento realizado em Orakei, as aves marinhas disputaram futebol, surfe, frisbee (arremesso de disco), corrida com bola e swing nall, no qual é preciso rebater a bola com força e efeito para tirá-la do alcance adversário, segundo o jornal inglês 'Daily Telegraph'. (Foto: Reprodução)

Na guerra dos navegadores, Google promove Chrome na TV

11/05/09 - 09h43 - Atualizado em 11/05/09 - 09h43

Na guerra dos navegadores, Google promove Chrome na TV
Vídeo produzido no Japão foi ao ar nos EUA, neste final de semana.
Chrome ainda está longe da popularidade do Firefox e Internet Explorer.





Um vídeo criado há pela equipe do Google no Japão foi parar, neste final de semana, em diversos canais dos Estados Unidos. O objetivo da exibição do conteúdo (que pode ser assistido no YouTube http://www.youtube.com/watch?v=SHZFsJKlsuA ) é divulgar o navegador Chrome, lançado oficialmente em setembro de 2008. O browser concorre com os populares Internet Explorer, da Microsoft, e Firefox, da Mozilla Foundation.

Segundo a empresa, o vídeo mostra como a interface do Chrome é simples e limpa. “Esperamos que a campanha torne o navegador mais conhecido e nos ajude a entender como a televisão pode complementar nossas outras campanhas de mídia on-line”, escreveram no blog da empresa Mike Steib e Anna-Christina Douglas, dos departamentos de anúncios na TV e do Google Chrome, respectivamente.

A empresa não anunciou por quanto tempo o anúncio será veiculado na TV.

Uma análise global feita pela empresa StatCounter mostra que a participação de mercado do Chrome ainda é pequena: 2% no dia 11 de maio de 2009 (data mais recente das estatísticas), contra 26,3% do Firefox e 65,8% do Internet Explorer. No Brasil, nesta mesma data, o Chrome tinha (4,34%), seguido pelo Firefox (33,7%) e Internet Explorer (60%).

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Mulheres são mais resistentes a infecções do que homens

13/05/09 - 06h58 - Atualizado em 13/05/09 - 09h18

Mulheres são mais resistentes a infecções do que homens, diz pesquisa
Segundo estudo, ação de hormônio feminino ajudaria a fortalecer sistema imunológico.

As mulheres são mais resistentes a infecções do que os homens graças à ação de hormônios sobre seus sistemas imunológicos, segundo afirma um estudo de pesquisadores canadenses. O estudo indicou que a produção de estrogênio pelas mulheres pode ter um efeito benéfico sobre a resposta do organismo a agentes causadores de infecções.

Segundo a pesquisa, publicada na última edição da revista especializada "Proceedings of the National Academy of Sciences", o estrogênio naturalmente produzido pelas mulheres bloqueia uma enzima chamada caspase-12. A ausência da enzima bloquearia, por sua vez, o processo inflamatório.

"Os resultados mostram que as mulheres têm uma resposta mais forte a inflamações do que os homens", comenta a coordenadora do estudo, Maya Saleh, da Faculdade de Medicina da Universidade McGill, de Montreal, no Canadá.

Gene
O estudo foi realizado com camundongos que não têm o gene responsável pela produção da enzima Caspase-12, tornando-os altamente resistentes a infecções.O gene foi então implantado em um grupo de camundongos machos e fêmeas, mas apenas os machos se tornaram mais suscetíveis a infecções.

Os pesquisadores acreditam que, por se tratar de um gene humano, os efeitos verificados nos camundongos seriam os mesmos em seres humanos.

Para Saleh, essa característica específica do sexo feminino poderia ser o resultado de uma evolução para proteger o papel reprodutivo das mulheres.

Segundo a pesquisa, hormônios sintéticos geraram resultados semelhantes ao estrogênio produzido naturalmente.

Isso poderia abrir a possibilidade do desenvolvimento de terapias especiais para fortalecer o sistema imunológico, mas pelo fato de estar ligado a um hormônio feminino, poderia impedir sua utilização por homens.

Mulheres com inteligência emocional têm mais orgasmos

12/05/09 - 06h09 - Atualizado em 12/05/09 - 10h02

Mulheres com inteligência emocional têm mais orgasmos, sugere estudo
Pesquisa britânica foi feita com cerca de 2 mil mulheres gêmeas.

As mulheres com maior habilidade para identificar e expressar os próprios sentimentos e perceber os de outras pessoas têm mais orgasmos, sugeriu um estudo realizado com gêmeos na Grã-Bretanha.

Os pesquisadores do King's College de Londres entregaram a 2.035 mulheres pertencentes a grupos de gêmeas, com idades entre 18 e 83 anos, questionários para saber detalhes sobre seu comportamento sexual e desempenho na cama. Havia ainda perguntas com o objetivo de testar sua "inteligência emocional".

Até um terço das mulheres achavam difícil ou impossível atingir o clímax durante o sexo. "Inteligência emocional parece ter um impacto direto na função sexual das mulheres ao influenciar a habilidade delas para comunicar suas expectativas e desejos sexuais ao parceiro", disse Andrea Burri, líder do estudo.

O diretor do Departamento de Pesquisa com Gêmeos do King's College de Londres e co-autor da pesquisa, Tim Spector, disse: "Inteligência emocional é uma vantagem em vários aspectos da vida, inclusive no quarto".

"Este estudo vai ajudar muito no desenvolvimento de terapias cognitivas e comportamentais para melhorar a vida sexual das mulheres", acrescentou. A pesquisa foi publicada em "The Journal of Sexual Medicine".

Mulher sai nua e bate na casa de estranho para pedir cigarros

12/05/09 - 10h00 - Atualizado em 12/05/09 - 10h00

Mulher sai nua e bate na casa de estranho para pedir cigarros
Americana Monica Wood, de 52 anos, foi presa após denúncia.
No momento da prisão, mulher estava vestindo uma bermuda.




Foto: Reprodução/Polícia Monica L. Wood foi presa após sair nua e bater na casa de um estranho para pedir cigarros. (Foto: Reprodução/Polícia)A norte-americana Monica L. Wood, de 52 anos, foi presa na sexta-feira (8) em Clearwater, no estado da Flórida (EUA), após sair nua e bater na casa de um estranho para pedir cigarros, segundo o jornal norte-americano "Tampa Bay".

Segundo a polícia do Condado de Pinellas, Monica bateu na porta durante a noite.

Depois da denúncia, os policiais encontraram a suspeita caminhando em um parque perto do imóvel vestindo apenas uma bermuda.

A fiança da mulher foi fixada em US$ 250. Segundo o jornal "Tampa Bay", ela foi libertada da cadeia após o pagamento do valor.

Mulher é acusada de faturar US$ 8,5 milhões com prostituição on-line

12/05/09 - 14h44 - Atualizado em 12/05/09 - 14h44

Mulher é acusada de faturar US$ 8,5 milhões com prostituição on-line
Michelle Braun divulgava modelos e atrizes em páginas na internet.
Ela pagou US$ 20 mil para ficar livre até próxima audiência.

A Justiça da Califórnia acusou uma mulher de faturar mais de US$ 8,5 milhões (cerca de R$ 17,5 milhões) com prostituição on-line, contratando para isso estrelas do universo pornográfico e modelos. Michelle Braun participou nesta segunda-feira (11) de uma audiência no tribunal federal de Orange County, nos Estados Unidos, e ficará livre pelo menos até a próxima audiência, em 29 de junho.

Michelle, que vive em Boca Raton (Flórida), cobrava US$ 50 mil ou até mais para seus
clientes passarem a noite com as mulheres que ela anunciava na internet. A empresária também é acusada de lavagem de dinheiro e de transportar indivíduos de Orange County para Nova York, com o propósito de prostituição. Ela negou ser culpada, mas os advogados acreditam que isso mudará até a próxima audiência.

A mulher pagou US$ 20 mil para aguardar em liberdade. De acordo com o “Orange County
Register”, é possível que a mulher seja condenada a cinco anos de prisão e a pagar uma multa de US$ 30 mil. Michelle e seu advogado se negaram a comentar o caso – quando questionada sobre o que faz, ela disse ser responsável por um “fundo de investimento”.

Em seu site, Michelle divulgavam “privacidade garantida, exclusividade e qualidade”. Ela tinha uma lista com 71 mulheres exibidas on-line, sendo que 50 apareciam como moradoras de Loa Angeles e duas em Orange County. Cada mulher tinha um perfil com fotos, biografia detalhada e suas fantasias sexuais.

Durante a investigação, um agente do FBI se inscreveu no site em março de 2006. Ele pagou US$ 2,5 mil para ter acesso a fotos de 138 mulheres, e o caso culminou na detenção de Michelle.

Mudança no Twitter freia bisbilhotagem na conversa alheia

13/05/09 - 15h52 - Atualizado em 13/05/09 - 16h04

Mudança no Twitter freia bisbilhotagem na conversa alheia
Internauta não acompanhará 'diálogo' se não seguir dois interlocutores.
Usuários reclamaram e cofundador disse estar 'considerando alternativas'.




Foto: Divulgação Mudança no Twitter desagradou diversos internautas.(Foto: Divulgação ) O Twitter apresentou nesta terça-feira (12) uma mudança que mostrou-se polêmica entre os usuários da rede social. Em um post, o cofundador Biz Stone anunciou que os internautas não conseguirão mais ver as respostas das pessoas que eles seguem, caso essas informações sejam repassadas para desconhecidos do usuário.

Na prática, funciona da seguinte forma: Maria segue João, e vice-versa. Pedro só segue Maria e, por isso, não conseguirá ver em sua própria página as mensagens que ela troca com João – isso porque, teoricamente, as informações não interessam a Pedro. Se o “excluído” entrar no perfil de Maria e de João no Twitter, no entanto, ele conseguirá visualizar as mensagens, desde que seus perfis não estejam trancados.

“Muitas pessoas querem ver o que alguém que elas seguem respondem para outras pessoas também conhecidas – é uma boa forma de se manter informado. No entanto, receber apenas respostas unilaterais para pessoas que você não conhece é algo indesejado. A atualização remove essa opção confusa”, escreveu Stone.

Se não for uma resposta, mas sim de uma citação a um usuário desconhecido, o internauta continuará tendo acesso ao texto. Assim, Pedro poderá ler o twitt “almoço com @joao no shopping do centro”, escrito por Maria. Isso porque, explicou Stone, essa é uma forma de descobrir novas contas interessantes de novos usuários.

Muitos internautas reclamaram da mudança, que foi classificada como #fixreplies no serviço de microblog. Em outro post, Biz Stone disse estar recebendo “uma tonelada de feedbacks úteis sobre a atualização”, e o cofundador Evan Willis escreveu em seu perfil: “lendo a opinião das pessoas sobre a mudança. Estamos considerando alternativas. Obrigada pelo retorno”.

AUTO TRIBALWARS - Versão 1.0 - LANÇAMENTO

AUTO TRIBALWARS - Versão 1.0 - LANÇAMENTO
PROGRAMA PARA AUTOMAÇÃO DO JOGO TRIBALWARS.


Tribal Wars é um jogo online de navegador (browser) ambientado na idade média. Cada jogador é senhor de uma pequena aldeia, a qual deve ajudar a ganhar poder e glória.



SITE: www.tribalwars.com.br

Qualquer dúvida ou erro deixe um comentário.




01-Tela inicial do programa, clique no menu TRIBALWARS para escolher as funções.




02-Ao clicar nesta opção (página inicial) o programa carrega a pagina de LOGIN do jogo, ao fazer o seu login escolha o modo VISUALIZAÇÃO CLÁSSICA e ao carregar a lista clique no link EDIFÍCIO PRINCIPAL.




03-Esta é a rotina de evolução automática(Auto Evolução V1.0), simplesmente colocar para evoluir as 10 principais construções, passando de uma para outra conforme os RECURSOS são armazenados.




04-Esta opção (modo invisível) permite que você deixe o programa funcionar sem ser visualizado, tendo duas maneiras de fazer isto:
SIMPLES- Permite que a invisibilidade dure até que o arquivo 'Modo_Invisivel.txt' seja apagado.
TEMPORIZADO - Nesta você pode escolher os minutos em que o programa fica invisível, ao terminar o tempo ele vai aparecer na tela.




05-Esta é uma função simples, com ela você pode indicar o endereço completo da página que o programa vai carregar, muito util se vc quiser visitar outras paginas do jogo ou outros sites durante o jogo.

QUALQUER DÚVIDA NÃO DEIXE DE DEIXAR UMA MENSAGEM NOS COMENTÁRIOS ABAIXO, SE POSSIVEL INFORME O ENDEREÇO DE E-MAIL.



DOWNLOAD - AUTO TRIBALWARS V1.0




http://www.4shared.com/dir/16822768/4e580582/sharing.html


segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Modelo se nega a amamentar o filho e diz que peitos são só para sexo

11/05/09 - 20h00 - Atualizado em 11/05/09 - 20h13

Modelo se nega a amamentar o filho e diz que peitos são só para sexo
'Eles são uma coisa sexual para mim', disse a britânica Nicola McLean.
Ela afirmou que não se sentiria sexy se tivesse amamentado seu filho.




Foto: Reprodução/Site oficial Nicola McLean disse que seus peitos são apenas para sexo. (Foto: Reprodução/Site oficial)A modelo britânica Nicola McLean disse que não amamentou seu filho Rocky, de três anos, porque seus peitos são apenas para sexo com seu marido, segundo reportagem do tabloide inglês "The Sun".

"Eles são uma coisa sexual para mim, e não quero Rocky mamando neles", afirmou ela.

Ela destacou que, se amamentasse Rocky, não seria capaz de fazer sexo com seu marido, o jogador de futebol Tom Williams, e de se sentir sexy.

Nicola McLean afirmou ainda que não gostava da ideia de ver seu filho se alimentando em seus seios.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Microsoft testa 'relógio mágico de Harry Potter'

12/05/09 - 07h58 - Atualizado em 12/05/09 - 09h06

Microsoft testa 'relógio mágico de Harry Potter'
Aparelho Whereabouts Clock monitora onde cada pessoa da família está.




Divulgação/BBC
Whereabouts Clock é semelhante a um relógio mágico descrito na série de livros Harry Potter, da escritora britânica J.K. Rowling (Foto: Divulgação/Microsoft)Cientistas da Microsoft desenvolveram um aparelho que monitora a posição de pessoas em uma família, através do sinal do telefone celular de cada um, e apresenta os dados em um mapa digital.

O Whereabouts Clock (ou Relógio de Paradeiros, em português), do tamanho de um porta-retrato, é um mapa digital com três categorias: "trabalho", "escola" e "casa". Pequenos ícones com a foto de cada familiar mostram onde cada um está em cada momento.

O aparelho é semelhante a um relógio mágico descrito na série de livros Harry Potter, da escritora britânica J.K. Rowling. Nos livros, os pais de Ron Weasley, amigo de Potter, possuem um relógio em que cada ponteiro representa um integrante da família. O relógio aponta para os locais onde cada um está a cada momento - como trabalho e escola.

O projeto foi desenvolvido por cientistas que trabalham na Microsoft Research, braço de pesquisa da empresa de softwares, em Cambridge, na Grã-Bretanha. Um protótipo foi testado com sucesso em cinco casas próximas ao laboratório da Microsoft Research de Cambridge.


Privacidade
O objetivo do aparelho, segundo a pesquisadora do núcleo de pesquisas sócio-digitais, Abigail Sellen, é ajudar no planejamento do dia-a-dia das famílias.

"Nós estávamos pensando em como reduzir os milhares de telefonemas que cada integrante de uma família faz entre si dizendo 'vou me atrasar', 'estou no trânsito' ou 'estarei em casa em dez minutos'", disse Sellen à BBC Brasil.

"Nós imaginamos que se nós construíssemos um relógio que permitisse que as pessoas vissem onde cada um está e vissem se elas estão se movimentando, isso facilitaria a vida das famílias."




Relógio de Paradeiros, em português, é um mapa digital com três categorias: 'trabalho', 'escola' e 'casa'. Pequenos ícones com a foto de cada familiar mostram onde cada um está em cada momento (Foto: Divulgação/Microsoft)

Para fazer o Whereabouts Clock funcionar, cada integrante da família precisa instalar um software no seu celular. O usuário precisa então marcar, com o programa de celular, as posições "casa", "trabalho" e "escola".

Depois de marcadas as posições, toda vez que ele estiver em um destes locais, o Whereabouts Clock mostrará uma foto do usuário no mapa digital na localização correspondente. Se ele não estiver em nenhuma das três posições, o relógio mostra o ícone da pessoa no meio.

Para evitar problemas de falta de privacidade, o software pode ser desligado, caso o usuário queira ocultar sua posição. Além disso, ele pode mandar mensagens de texto para o Whereabouts Clock.

'Conectadas e próximas'
Sellen conta que, ao ser testado pelas famílias em Cambridge, o Whereabouts Clock não foi usado como os cientistas da Microsoft previam.

"A ideia original era ajudar as famílias ocupadas a se coordenaram, mas descobrimos que este não era realmente o maior valor deste relógio [para as pessoas]."

"O relógio funcionou mais para que cada um se sentisse mais seguro. Muitas pessoas gostavam de chegar em casa e ver, pelo relógio, que todas as outras pessoas estavam onde deveriam estar."

"Além disso, as pessoas se sentiam mais conectadas e próximas umas das outras. O relógio servia para que as pessoas se ajudassem. Por exemplo, os filhos viam que a mãe saiu do trabalho e já preparavam chá, sabendo que em pouco tempo ela estaria em casa."

"No fim das contas, o relógio serviu não tanto para comunicação entre as pessoas, mas para que elas se sentissem próximas."

Sellen diz que a ideia foi "parcialmente" inspirada no "relógio mágico" de Harry Potter.

Por enquanto, o Whereabouts Clock é apenas um protótipo. A cientista da Microsoft não descarta que o projeto seja transformado em produto, mas afirma que não há planos ainda para comercializar o modelo.

Kanye West briga com o Twitter e conta falsa é cancelada

13/05/09 - 18h13 - Atualizado em 13/05/09 - 18h13

Kanye West briga com o Twitter e conta falsa é cancelada
Rapper pediu a suspensão de anônimo que se passava por ele em site.
Serviço de microblog diz que está lutando para combater perfis falsos.




foto: AP O rapper Kanye West. (Foto: AP)Em um post de seu blog oficial, o rapper falastrão Kanye West manifestou-se contra o fato do site de microblogging Twitter permitir que usuários criem contas falsas. West pediu para que o site tirasse do ar um usuário que vinha escrevendo em seu nome – e o Twitter ouviu.

O usuário – chamado Kanye West – foi suspenso nesta quarta-feira (13). O site não permite contas falsas – mas libera paródias que sejam claramente encaradas como piadas.

Contas falsas de celebridades são um fato no cotidiano do Twitter, mas o site diz que está lutando para combater o problema . Biz Stone, cofundador do Twitter disse em um e-mail que a empresa está procurando um meio de implementar um sistema de verificação de contas.

De qualquer maneira, West não deve entrar para o site. Ele diz estar “muito ocupado sendo criativo a maior parte do tempo” e que “tudo o que o Twitter oferece é o que eu menos preciso”.

Jovem entra escondida na cadeia para encontrar o namorado

13/05/09 - 10h00 - Atualizado em 13/05/09 - 10h00

Jovem entra escondida na cadeia para encontrar o namorado
Quando foram pegos, Aquilla Wilson fugiu e deixou a namorada sozinha.
Victoria Thorp foi presa acusada de ajudar um prisioneiro a escapar.




Foto: Reprodução/Polícia Victoria Thorp foi presa após entrar escondida em cadeia para encontrar o namorado. (Foto: Reprodução/Polícia)A norte-americana Victoria Thorp, de 19 anos, foi presa após entrar escondida em uma cadeia em Gainesville, nos EUA, para encontrar o namorado. Após serem descobertos, Aquilla Wilson, de 18, pulou uma janela e fugiu, segundo reportagem do jornal "Gainesville Sun".

Wilson tinha sido detido acusado de posse e venda de drogas. Segundo a polícia, a jovem entrou por uma janela para ver o namorado.

"Mas, quando foram pegos, ele fugiu e deixou ela lá", disse o policial Wayne Ash.

Victoria Thorp foi presa acusada de ajudar um prisioneiro a escapar e de entrar com contrabando na prisão. O incidente aconteceu no dia 22 de abril.