Clique no PLAY para leitura automática do texto:

sexta-feira, 4 de março de 2016

Os conflitos mais absurdos de todos os tempos


Os conflitos mais absurdos de todos os tempos


Há algumas batalhas e guerras que, embora façam parte da história da humanidade, são especialmente absurdas.


Esta lista reúne alguns dos episódios bélicos mais insólitos de todos os tempos:

O autoconflito absurdo do rum: em 1788, o exército austríaco se posicionou na planície de Caransebes para enfrentar as tropas otomanas. Os cavaleiros haviam comprado uma grande quantidade de rum para um grupo de ciganos, mas se recusou a compartilhar o álcool com os soldados da infantaria. Isso causou uma briga que se tornou um conflito antes do conflito, no qual morreram 9 mil integrantes do exército austríaco. 

A guerra mais curta da história: em 1896, a Inglaterra e o sultanato de Zanzibar protagonizaram a guerra mais breve da qual se tem registro, depois de o novo sultão tentar cortar relações comerciais com o Reino Unido para estabelecê-las com a Alemanha: o bombardeio inglês acabou com a guerra em 38 minutos. 

A guerra por causa do comprimento do pênis: em 1425, Florença e Gênova assinaram a paz, estabelecendo que o lado vencedor seria aquele cujo líder tivesse o pênis de maior tamanho. O líder fiorentino disse, então, que os vencedores seriam os genoveses, afirmando: “Se seu órgão sexual é tão grande que chega a cobrir longas distâncias, como é possível passar tanto tempo fora de casa e não descobrir-se pai de várias criaturas?”. Ofendidos, os genoveses decidiram rejeitar a paz e a guerra prosseguiu. 

A guerra do porco: em 1850, os EUA e o Reino Unido disputavam a soberania das Ilhas San Juan. Um fazendeiro americano, Lyman Cutlar, matou um porco que havia entrado em seu terreno. O animal era de propriedade dos ingleses, e quando esses exigiram que Cutlar lhes ressarcisse o valor do porco, o fazendeiro se negou, e eles o prenderam em um estábulo. Quatrocentos soldados norte-americanos foram até a ilha para resgatar o fazendeiro e tiveram que enfrentar uma frota inglesa de 1.500 homens. 

Como fazer um porto desaparecer: o ilusionista Jasper Maskelyne foi contratado pelos britânicos na Segunda Guerra Mundial para que tornasse o porto de Alexandria invisível durante a noite para os aviadores alemães. Ele, então, construiu uma réplica exata de uma baía e fez com que, à noite, fossem acesas as luzes do porto falso e apagadas as do verdadeiro. Foi o truque mais bem-sucedido de toda a sua carreira.

Fonte: Quo 


Nenhum comentário:

Postar um comentário