Clique no PLAY para leitura automática do texto:

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Manuscritos provam que Da Vinci esboçou leis do atrito 2 séculos antes de elas surgirem



Manuscritos provam que Da Vinci esboçou leis do atrito 2 séculos antes de elas surgirem



Professor voltou a analisar os rabiscos do gênio e descobriu que Da Vinci havia pensado no atrito em 1493, 200 anos antes da publicação das leis.


O pintor de Mona Lisa pode ter sido também o gênio que pensou nas leis do atrito. 

Mas isso teria ocorrido 200 anos antes dessas leis terem sido publicadas. 

O professor Ian Hutchings, da Universidade de Cambridge, voltou a analisar alguns rabiscos de Da Vinci em um caderno de 1493. Outros pesquisadores já haviam classificado o caderno como “irrelevante”. Mas Hutchings descobriu que alguns desenhos e anotações tratam do que viria a ser anos mais tarde as leis do atrito. 

Da Vinci chegou a descrever essa força da Física tempos depois, em 1508, mas não detalhou as leis. Ao que tudo indica, no entanto, ele já havia esboçado as ideias. A página traz o desenho de uma mulher com a inscrição “cosa bella mortal passa e non dura”, que significa “a beleza mortal passa e não dura”.



Hutchings descobriu que as inscrições estão acompanhadas de figuras geométricas puxadas por um peso que paira sobre uma roldana – exatamente o mesmo estudo que é utilizado atualmente para explicar as forças do atrito. 

“O esboço e os textos mostram que Leonardo compreendeu os fundamentos da fricção em 1493”, diz o pesquisador. “Sabemos que a força do atrito entre duas superfícies que deslizam uma contra a outra é proporcional ao somatório das pressões exercidas pelas superfícies isoladas e que o atrito é independente à suposta área de contato entre as duas superfícies. São premissas da lei do atrito que normalmente creditamos a um cientista francês, Guillaume Amontons, que as desenvolveu dois séculos mais tarde”, argumentou o investigador britânico. 

Abaixo, a imagem da página do manuscrito de Da Vinci. 



Fonte: Megacurioso 



Nenhum comentário:

Postar um comentário