Clique no PLAY para leitura automática do texto:

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Mistério da palavra que brota do mar é revelado


Mistério da palavra que brota do mar é revelado


Por anos, apareceram no litoral europeu placas de borracha com uma palavra intrigante e sem sentido: “Tjipetir”. Inúmeras pessoas encontraram em praias da Espanha, Grã-Bretanha, Dinamarca, Noruega, Holanda e França blocos idênticos e de significado enigmático, que chamaram sua atenção. 


Seria uma mensagem enviada com algum objetivo? Um código, uma senha, um pedido de ajuda? De todas as pessoas que se depararam por acaso com Tjipetir, uma delas não se conformou em viver com essa intriga.

Tracy Williams, que encontrou a placa de borracha no litoral de Newquay (Grã- Bretanha) se dedicou à pesquisa de naufrágios e tragédias marinhas da Primeira Guerra Mundial e de outras épocas. Para aperfeiçoar sua busca, convocou, através das redes sociais, outros “escolhidos” pela palavra misteriosa. Dessa forma, compilou uma notável série fotográfica de pessoas de todo o mundo pousando com o bloco, além de criar um grande mapa de suas aparições. Após um trabalho árduo, Williams descobriu que uma embarcação japonesa, a Miyazaki Maru, afundou em frente ao Canal da Mancha após o ataque de um submarino alemão, em 1917. Este navio viajava de Yokohama a Londres, transportando guta-percha, um material muito similar à borracha. E Tjipetir era o nome da plantação de guta-percha, que funcionou na Java Ocidental, na Indonésia, até o início do século passado.

O oceanógrafo Curtis Ebbesmeyer, especializado em objetos flutuantes, ao ser consultado sobre esse estranho fenômeno, explicou que as placas de borracha foram subindo à superfície aos poucos e o continuarão fazendo “nos próximos cem anos”. E podem aparecer e serem encontrados em qualquer lugar do mundo, já que, uma vez na superfície, podem dar a volta ao mundo em 25 anos, movidos pelas correntes marinhas.

Fonte e imagens: La Capital e BBC


Nenhum comentário:

Postar um comentário