Clique no PLAY para leitura automática do texto:

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Saiba qual é o único caso ativo de caça a nazistas nos EUA


Saiba qual é o único caso ativo de caça a nazistas nos EUA


Nos Estados Unidos, apenas um caso segue ativo de uma "era de caçadas a nazistas" após o final da Segunda Guerra Mundial.
O único processo é contra Jakiw Palij, hoje com 92 anos, que vive em Nova York e que, provavelmente, viverá seus últimos dias na cidade em que vive. 


Campo de Trawniki

Palij chegou aos EUA em 1949, alegando ser um carpinteiro polonês. Mais tarde, sua conexão com o regime nazista foi descoberta e ele foi acusado pelo Departamento de Justiça de Direitos Humanos e Processos Especiais de trabalhar como guarda no campo de concentração nazista Trawniki, na Polônia. 

Em sua defesa, ele alega que foi obrigado por outros homens a fazer este trabalho quando os nazistas ocuparam a sua terra natal, a Polônia. A corte federal dos EUA ordenou sua deportação em 2004, mas Palij não foi aceito por nenhum dos três países para os quais poderia ser enviado, entre eles a Polônia. 

O caçador de nazistas 

O homem por trás da caçada a Palij é Eli Rosenbaum. Ele é o diretor de Política e Estratégia de Execução dos Direitos Humanos, mais conhecido no Departamento de Justiça como "caçador de nazistas". Com sua ajuda, o setor executou 137 casos, dos quais obteve sucesso em 107, retirando a cidadania e deportando ex-nazistas. 

No caso de Palij, Rosenbaum diz: "o que o Sr. Palij fez impediu que outras pessoas chegassem à velhice. Ele serviu na formação e base do campo da SS em Trawniki, uma escola de assassinato em massa. Ele treinava com judeus vivos no Campo de Trabalho Judeu de Trawniki adjacente. No final, todo mundo lá foi massacrado".

Atrocidades desconhecidas 

O tamanho das atrocidades do campo de Trawniki onde Palij trabalhou não é conhecida. 
Pesquisadores buscam documentos que ajudem a levantar os números, mas um relato de uma operação mencionou a morte de 4 mil pessoas ali, a maioria judeus. 

A ironia para advogados e investigadores que buscam evidências para os crimes dos nazistas é que a lei dos EUA apenas permite deportar quem cometeu esse tipo de crime contra humanidade. A punição só pode ser aplicada por autoridades de outros países.



Fonte: CNN



Nenhum comentário:

Postar um comentário