Clique no PLAY para leitura automática do texto:

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Exqueci o ixqueiro na exquina da excola



Exqueci o ixqueiro na exquina da excola


Regionalismo é um assunto que sempre gera polêmica.


Quem nunca se viu em uma discussão com algum amigo tentando decidir se o correto é bolacha ou biscoito?



Outro aspecto que sempre gera polêmica é o sotaque, especialmente o chiado carioca.





Será que ele tem explicação?

Segundo os historiadores, sim.



A primeira coisa que precisamos dizer é que não existe isso de jeito certo ou errado de falar. Cada região tem sua característica própria e isso é muito natural, ainda mais em um país de proporções continentais como o nosso.

Em 1808, com a ameaça de invasão de Napoleão Bonaparte, a Corte Portuguesa fugiu da Europa e se instalou no Brasil, trazendo cerca de 15 mil pessoas junto.

Richard Bates, Largo do Paço, 1808


Essa grande quantidade de portugueses representou quase um terço da população da cidade na época e influenciou na arquitetura, culinária e no modo de falar carioca, entre outras coisas. Os hábitos europeus acabaram sendo copiados e incorporados como uma referência na colônia ao longo do tempo, deixando marcas até hoje.

Pedras portuguesas no calçadão de Copacabana


O jeito chiado de falar o "S" é uma herança desse período de convivência com os gajos de Portugal. Pode reparar que na terrinha eles falam “Lishboa” e “pashtel de Belém”.

Recado para Paulista no mercado


Ou seja, nada de criticar o sotaque carioca... ele pode ser considerado o mais próximo da língua original.



Maneiríssimo, parceiro.





Nenhum comentário:

Postar um comentário