Clique no PLAY para leitura automática do texto:

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Descoberto túnel cavado com colheres por judeus na Segunda Guerra


Descoberto túnel cavado com colheres por judeus na Segunda Guerra


Um túnel de 35 metros cavado com colheres e com as próprias mãos por prisioneiros judeus que escapavam dos nazistas na Segunda Guerra Mundial foi descoberto na floresta Ponar na Lituânia.


A Floresta Ponar foi palco de um massacre ao longo de três anos, entre 1941 e 1944, em uma região perto da estação Ponary, que hoje é conhecida como Paneriai. A área, atualmente, faz parte do subúrbio da capital da Lituânia, Vilnius, um centro judaico antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial. Sob a ocupação nazista, a floresta foi usada para enterrar os corpos de até 100 mil pessoas, incluindo 70 mil judeus, além de poloneses, soviéticos, pessoas consideradas comunistas e romenos.

Quando o rumo da Segunda Guerra virou contra a Alemanha com a aproximação do Exército Vermelho, os nazistas tentaram encobrir suas atrocidades. Eles forçaram cerca de 80 prisioneiros do campo de concentração de Stutthof, na Polônia, que eram acorrentados pelas pernas, a desenterrar os corpos da floresta e queimá-los.

Esse trabalho infernal era realizado durante o dia - os prisioneiros abriam as covas e empilhavam corpos para a incineração. O grupo temia que depois que o trabalho fosse concluído, eles seriam os próximos na linha de execução. Para fugir desse pesadelo, eles planejaram uma fuga: começaram a cavar durante as noites um túnel, usando colheres e as próprias mãos. Foram três meses de trabalho para cavar um buraco subterrâneo de 35 metros de comprimento.

A fuga ocorreu quando todos dormiam, em 15 de abril de 1944. De acordo com a Autoridade Israelense de Antiguidades, 40 passaram pelo túnel, mas foram descobertos pelos guardas e muitos acabaram baleados. Apenas 15 conseguiram cruzar as cercas do campo e fugir para a floresta. Onze alcançaram as forças russas e sobreviveram à guerra.

O achado foi feito por uma equipe internacional de pesquisadores de Israel, Estados Unidos, Canadá e Lituânia. Desde a Segunda Guerra Mundial eram feitas buscas para localizar este túnel subterrâneo. A descoberta só foi possível agora por conta do uso de uma técnica de tomografia por resistência elétrica, usada para a exploração de petróleo e para a mineração.




Fontes: O Globo, Antiquities





Nenhum comentário:

Postar um comentário