Clique no PLAY para leitura automática do texto:

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Medellín agora também é um planeta


Medellín agora também é um planeta


Este é o nome do terceiro planeta menor já descoberto por cientistas colombianos e o segundo achado pela Universidade de Antioquia.


Em 2 de novembro de 2016, o planeta menor, inicialmente conhecido por 366.272, foi batizado em uma cerimônia na Universidade de Antioquia,  na Colômbia, com o nome de 366.272 Medellín.
Uma das regras da União Astronômica Internacional (IAU, da sigla em inglês) é que quem descobre um corpo celeste tem o direito de escolher seu nome. E, no caso, esse direito ficou com o professor da Universidade de Antioquia Ignacio Ferrín que, ao lado de seu aluno Carlos Leal, achou o asteroide, localizado entre Marte e Júpiter, em 30 de março de 2003. 




O nome é uma homenagem à cidade e é uma honra para os cientistas, que pertencem à cultura colombiana. Além disso, de acordo com Ferrin, já existe um objeto espacial que leva o nome da cidade de Bogotá.

O asteroide de 250 metros de diâmetro só foi batizado 13 anos depois de sua descoberta pois a IAU exige que a pedra espacial dê duas voltas ao redor do Sistema Solar, de modo que sua órbita possa ser determinada com precisão. Cada volta, levou seis anos, de acordo com Ignacio Ferrin, que é professor do Instituto de Física da Faculdade de Ciências e Ciências Naturais da Universidade de Antioquia. 




E o processo de encontrar este novo planeta menor não foi fácil. Durante seis meses, de março a setembro de 2003, Ferrin, Leal e outros pesquisadores aplicaram procedimentos matemáticos e também capturaram 9 mil imagens com telescópio, para identificar somente nove fotos com informações significativas do asteroide. 
As demais imagens eram falhas, ou estrelas verdadeiras sem movimento ou de objetos já conhecidos. Encontrar um planeta menor diferente realmente dá trabalho.





Fonte: El Tiempo




Nenhum comentário:

Postar um comentário